Sobre o final da novela e tudo mais 

Em meio a belíssimas cenas de despedida e aventura no Monte Roraima, na sexta-feira (13 de março) chegamos ao fim da global Império. Apesar de não ter acompanhado diariamente, dia ou outro assistia e comparecia no Twitter – para reclamar, claro – dos estereótipos caricatos ou de alguma ponta solta. Neste último capítulo não foi muito diferente e o que mais me chamou a atenção foi o filho, cujo nome eu nem me lembro – dada a sua relevância no decorrer da trama – ter assumido o papel central na empresa. Bom, pelo menos isso é o que nos foi dado a entender pela última cena, em que vemos toda a família reunida em uma pose majestosa enquanto fotos são tiradas e tudo mais. Por que não Cristina, mesmo já tendo mostrado sua competência na administração do “Império” no período da falsa morte do Comendador, ou Maria Clara? Ou, até mesmo, Maria Marta?
Não pude assistir o capítulo desde o começo, mas o que eu vi do tal rapaz neste último dia foram demonstrações de sua total virilidade ao praticar montanhismo e explorar os interiores do Monte Roraima quando encontra um amuleto, tornando-o, assim, apto ao cargo de chefão(!).
O que me lembra um artigo muito interessante sobre Sansa e Arya Stark, personagens da série de livros As Crônicas do Gelo e o Fogo, que eu prometo procurar e deixar o link em algum lugar para quem ficar curioso, que nos perguntava por que torcemos tanto para o sucesso de Arya com sua espada, batendo e matando seus inimigos, e muitas vezes chamamos Sansa de “Sonsa Stark”? Não gostaria de usar esses termos, porém: por que é mais fácil simpatizar com uma personagem feminina que possui traços mais masculinizados, como a arte da esgrima ou quase nenhuma vaidade, e fazer chacota de outra que é doce, gosta de tortas de limão e <spoiler alert para quem ainda não leu todos os livros da série> foi extremamente inteligente e usou de seus atributos para sobreviver, até o momento, no jogo dos tronos sem ter de usar, diretamente, de violência. <\> O que há de tão errado no feminino que o faz tão difícil de ser aceito? Sobre isso eu só posso fazer algumas rasas suposições, mas quando perguntei para minha mãe se ela não tinha achado estranho o desfecho da novela, ela me disse que o fato em questão nem tinha sido de grande relevância.

 

Nos vemos na próxima 🙂

 


Gus

2 comentários em “Sobre o final da novela e tudo mais 

Deixe uma resposta