o que você é quando é de verdade ?

Quem É Você, Quando Você É De Verdade ?

Vamos falar sobre o quanto as nossas fantasias, ou seja, as coisas que a gente cria na nossa cabeça, podem sim ser reais.
Viver de uma forma muito prática, comprovada, 100% do tempo, sem seguir apenas a intuição, deixando a lógica te guiar sempre, sem uma fantasia, é chato. Faz a gente só acreditar nas coisas que a gente já viu tomar forma.
E as vezes a gente escolhe um caminho que só a gente esta vendo, e ai se a gente só acredita nas coisas que a gente vê, e o nosso caminho ainda não foi trilhado por ninguém, ou seja, não existe fora da nossa cabeça, adivinha só: A gente para no tempo. A gente para porque o nosso cérebro não consegue assimilar que aquilo é possível afinal, não tem a quem seguir. Ou tem, mas é algo muito longe, grandioso e distante.
Na maioria das vezes é assim, isso é, se você assim como eu é meio avoado e decidiu que você quer fazer da sua vida alguma coisa nova, diferente, não testada (ou pouco testada).
E, as vezes, o seu ‘diferente’ pode nem existir na sua cidade, ainda. E aí, tudo vai ter que partir de você, das suas ideias, ou seja: da sua maluquice.
Mas o que é uma maluquice? Uma maluquice é uma coisa que pra você existe, e pro resto do mundo não. Uma coisa que pra você faz sentido, e pro resto do mundo não.

Agora me lembro da Alice questionando a própria mãe sobre o que as pessoas consideram “apropriado”: “Quem decide o que é apropriado? Se dissessem que o apropriado seria usar um bacalhau na cabeça? Você usaria um??”
E o pior é que a gente vive colocando bacalhau na cabeça. É só alguém dizer que é certo, que é moda, que vale, que “o normal é assim”, e a gente adota um bacalhau pra vida.
E depois de um tempo a gente para pra pensar, e descobre que que aquilo não faz o menor sentido pra nós. A gente pira.
Maluquice é decidir não colocar o bacalhau na cabeça se aquilo não faz sentido pra você, mesmo que todos estejam fazendo. É decidir não ser padrão.

Olha eu aqui de novo falando sobre seguir multidões. Um exemplo claro de seguir multidões está no tempo que demora pra uma pessoa encontrar o seu próprio estilo, por exemplo.
Estes dias eu estava assistindo um vídeo onde a pessoa falava a respeito da personalidade dela, e dizia inclusive que ela demorou demais pra se encontrar em um estilo, mas que quando isso aconteceu, ela experimentou a sensação de ser plenamente feliz.
E é assim que acontece com a gente, na maior parte das vezes, a gente é tipo diamante, a gente entende que tem um valor único, mas precisa se lapidar até ter a coragem de trazer esse valor a flor da pele. E até lá, a gente é um monte de bagunça ambulante que segue por aí usando bacalhau na cabeça.

Só a gente sabe qual é a nossa verdadeira forma. Esse trabalho de lapidar, é suor nosso. E o primeiro passo pra que isso aconteça, tem que ser a conscientização. Entender que o que os outros falam, é só o que os outros falam. As vezes o que é maluquice pros outros, é você. É a sua essência, é sua auto compreensão, é o seu legado pro mundo. E você vai ignorar isso? Só porque só faz sentido pra você? Só porque pros outros parece maluquice?

Se eu pudesse te dar um conselho eu te diria pra nunca trocar a sua verdade por um bacalhau que alguém disse que você precisa usar.

Tá tudo errado. Você tem que ter essa consciência. Não interessa. Maluquice não é ruim.
É você se descobrindo. Realiza isso. Bota pra rodar. E se a sua maluquice for um bacalhau na cabeça, segue o bonde, ta tudo bem também desde que estas sejam as tuas regras e desde que esse seja o caminho pra você se lapidar e se mostrar inteiro pro mundo, com alicerces fortes. Porque o mundo vai te engolir se você não souber o que quer ou o que você é. O mundo vai te engolir, meu amigo.

Se mostra.
Quem é você?
O que você acha que você é?
Com quem você acha que você quer se parecer?
De que cor você acha que tem que ser o seu cabelo?

Quantas tatuagens você acha que tem que ter (Se é que você acha que tem que ter alguma)?
Quantos piercings (se é que você acha que tem que ter algum) ?
Você quer vestir o que?
Por onde você quer andar?
Você quer comer o que?
Como você quer viver?
Qual tipo de exercício você quer fazer?
Qual o seu peso ideal?
Você quer ter cabelo comprido? Curto? Você quer ter cabelo?
Com o que você quer trabalhar?
Onde você quer morar?
Pra onde você quer ir ? Se é que você quer ir pra algum lugar..
O que você quer fazer hoje?
Onde você quer estar daqui a 2 anos?
No que você acredita?
Do que você não abre mão?
Pelo que você luta?
Quem é você? Com o que você se parece aí do lado de dentro?
Que horas você vai deixar isso sair?
Quando você vai liberar a sua maluquice?

A gente precisa se desprender da paranoia dos outros.
Problema deles o que eles acham, o que eles fazem o que eles acreditam, o que eles falam e usam. Problema deles. Você precisa ser você, você precisa se achar ai dentro dessa bagunça, entender qual é a sua forma e se fazer feliz. Se colocar pra fora. A forma que você quer levar a vida, que é aquela que te faz ser feliz o tempo todo e não só as vezes. É aquela que te dá confiança pra resolver seus problemas do seu jeito.
Talvez você precise meditar de manhã, talvez você só tenha que dançar lambada pela casa… Tem gente que precisa viajar pra se achar, tem gente que só precisa ficar a lutar pra conseguir morar na mesma casa que a própria família sem pirar…
Não importa. Você precisa descobrir o que traz a sua melhor versão.

Não espere a aprovação alheia pra se tornar o que você nasceu pra ser. Por que ela não virá.
Como você é quando é de verdade ?

💙
Bia

Deixe uma resposta