pra sempre

Pra sempre

Acho que o que assusta algumas pessoas no assunto “casamento” é o pra sempre.

É aquela coisa de – tem que dar certo, tem que durar! Se não vai ser uma desonra .
Engraçado que a gente não tem esse peso sobre o namoro, sobre a amizade, que de certa forma são “contratos fechados” de confiança e lealdade também. Mas nos disseram, e nos dizem até hoje que casamento tem que ser pra sempre e aí, meu amigo, isso pesa.

A gente não sabe do amanhã.

Quer dizer: quantas vezes cada um de nós se enganou nas certezas que teve um dia?
Quantas vezes cada um de nós destruiu tudo que sabia sobre algo ou alguém e construiu novamente, diferentemente?
Complicado pra nós, nessas condições, traçar um pra sempre, assim na lata.
Não sabe se vai segurar a barra do “não importa o que aconteça, tem que durar pra sempre”.
E aqui, nem estamos considerando o outro e as vontades e mudanças.
Então são duas pessoas que não sabem muito sobre a vida tendo que fechar um pra sempre vai dar certo em algo que nunca fizeram (ou fizeram mas deu errado). Não me parece nem um pouco garantido.

Acho que o “pra sempre” ele não tem que ser a regra do casamento.  Ele no máximo deve ser o parâmetro de escolha sobre casar ou não. Do tipo: Eu gostaria de ter esta pessoa pra sempre perto de mim, do meu lado nas minhas escolhas e nas barras que eu ainda vou ter que segurar? – Sim. –  Ok. posso me casar com esta pessoa.

Quero o pra sempre. Mas não tenho certeza se ele virá. Se vier vai ser muito bom. Se não vier: crescimento.
Trabalhar essa ideia na cabeça pode matar o medo que muita gente tem de casamento, e pode também salvar pessoas de relacionamentos que a tempos não funcionam mais, mas são mantidos porque alguém disse um dia que “pra sempre”. 

Somos seres, acima de tudo, errantes. É preciso de amor, mas é preciso regá-lo com lógica e consciência.
Tem muita gente aí achando que é normal sofrer por amor, quando na verdade deveria estar partindo pra outra.
Esse é o tal do romantizar o sofrimento que muita gente fala por ai.
Então a gente pode concluir este texto, mudando esse “pra sempre”, pra “enquanto ambos estiverem felizes”.

A vida é curta demais pra gente ficar correndo atrás de pra sempre.

Eu sei que não tenho a eternidade, então prefiro a profundidade.

Logo, entrego de mão beijada todos os meus “pra sempre” morninhos por um agora que me tire o fôlego.

Você vem ou vai ficar aí no pra sempre ?

Bia

Paulista, louca dos signos, determinada e inconformada. Tem a escrita como válvula de escape. Passou boa parte da vida idealizando uma vida e vivendo outra e, agora, tudo o que ela quer é começar a tirar os planos do papel. O blog Andei Pensando é um deles!

** A imagem utilizada no topo da postagem não é de autoria deste blog. Qualquer problema a respeito, favor falar conosco utilizando o formulário de contato. Atenderemos prontamente.**

Deixe uma resposta