Balanço na pitangueira

Você Sabe o que é uma parreira?

Eu costumava dizer aos amigos que é uma espécie de árvore que sobe pelas madeiras e forma uma espécie de cabana de frutas. Essa explicação deixava as uvas e maracujás mais mágicos. De alguma forma.

Não quero desmerecer mamoeiros, a jabuticabeira, a árvore de acerola e as de conde. As melancias rasteiras os pés de louro a horta de mil coisinhas miúdas e muito menos as magníficas flores que desciam por entre os galhos de cada uma das árvores. Mas, definitivamente a pitangueira era a minha favorita. E foi lá que ele construiu o meu balanço. Ele usou uma corda azul grossa e algumas ripas de madeira. Simples. Pra mim não.

Até por que ficava bem no fundo depois de todas as outras plantações, e a brisa trazia o cheiro cítrico do maracujá com a acerola e eu posso ter a idade que for, jamais vou me esquecer daquele cheiro.

Eu gostava de ficar naquele balanço enquanto ele limpava o quintal conversando com os passarinhos. Ele sabia assobiar a língua dos pássaros e eles sempre respondiam, e isso me encantava. Era o meu encantador de pássaros.

Enquanto ele me ensinava a mexer com a terra, com os pássaros e balançar tão alto que era possível ouvir a voz do vento, eu não percebia, mas recebia uma das lições mais importantes da minha vida, passada por outra vida que foi tão breve e significou tanto…

Ele me ensinava tudo sem dizer uma palavra, apenas caminhando ao meu lado, e talvez, no nosso ultimo adeus as suas palavras, aquelas que eu nunca entendi, tenham sido estas duas, que agora, carregarei para sempre do lado esquerdo do meu corpo, a fim de sempre me lembrar… da lição mais difícil e mais importante da minha vida:
Free yourself.


Bia (121)

Bia gosta de praia em dia nublado, clima frio e café quente. Anda pela rua falando sozinha e coleciona elefantes e coisas vermelhas. Fala com todos os cães e gatos que encontra na rua, e tem um gosto musical metamórfico, mas o som que mais aprecia, ainda é o de ensaios de violão e piano. Coloca sempre a lealdade em primeiro lugar em tudo, tem olhos que mudam de cor e não gosta de desistir.
Uma desastrada leonina com ascendente em libra, que resolveu fazer engenharia e quando terminou a faculdade percebeu que sua verdadeira paixão, desde sempre, eram as palavras derramadas em folhas de papel.

Deixe uma resposta